Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
Publicação

Cuidado: Você pode estar sofrendo de síndrome de Ráqui

foto de
Jonathan Silva CONTEÚDO EM DESTAQUE

Com o avanço da tecnologia no Brasil, principalmente da internet, o número de estudantes de T.I (Tecnologia da Informação) subiu drasticamente, mas não deixaram de subir também o número de Hackers e Crackers, verdadeiros nerds da computação.

O Hacker possui enormes conhecimentos em tecnologia, dominando várias áreas da computação como: manutenção, redes, segurança e eletrônica. Na verdade são profissionais em segurança, seu objetivo é proteger sistemas, buscar e informar à empresa sobre possíveis vulnerabilidades, sua metodologia é trabalhar com ética. Já o Cracker é o inverso disso, pode ter o mesmo nível de conhecimento, mas sempre as usa para atos ilícitos, seja para extrair informações de bancos de dados, até causar o caos em sistemas de grandes empresas.

Agora, uma pergunta curta e direta para você que pretende ser um especialista em segurança: Está realmente se dedicando?

Não é difícil encontrar em grupos na internet, especialistas em ferramentas prontas de invasão em computadores, pessoas que oferecem serviços de “pentest” pedindo contas de PB (Point Blank) em troca ou uma vaga em algum grupo de anêmonas (que se dizem Anonymous). Na verdade podemos chamá-los de “Ráquis”, são os melhores usuários de hack de jogos que podemos encontrar em sites indexados pelo Google (ou Alphabet).

Para o Ráqui não basta usar o Windows como sistema operacional, eles tem a ousadia de dominar “todas” as ferramentas de distros Linux voltados para Pentester e criar um mega DDoS usando apenas o ping –t ou até mesmo invadir o perfil de rede social da mãe apenas recuperando a senha usando o e-mail dela (sim, me referi ao Jênio do SBT), isto é incrível, não?!. São seres extraordinários que já nascem com todo o conhecimento e que invadem qualquer site apenas colocando uma aspa simples no final da url ou roubam contas de “feicibuqui” usando softwares complexos.

Bom, deixando de ironia, vamos falar sério:

Em se tratando de tecnologia, o caminho para o sucesso não é simples, muito menos para futuros hackers. Não existe a profissão denominada Hacker, é o próprio profissional em segurança que se denomina um hacker. A concorrência é enorme, pois existem outras pessoas querendo se destacar e tiver uma vida financeira e profissional satisfatória.

As empresas estão buscando profissionais que tem o currículo mais completo que os demais, não bastamos apenas ser formado em segurança e preencher uma só linha do currículo. Na área da Segurança da Informação quem tem ‘mais’ currículo, possui maior chance de preencher uma vaga na empresa tão sonhada para trabalhar. Com a Internet das Coisas, certamente a procura por profissionais em segurança vai crescer a cada ano, mas você se acha apto a concorrer com os demais? Depende sempre de uma distro para resolver os problemas de um cliente? Procura soluções para os problemas encontrados? Tem conhecimento sólido em redes e alguma linguagem de programação?

Estas perguntas você irá responder a si mesmo. Sempre pesquise, leia livros, faça cursos, tire certificações e teste vários sistemas operacionais e é claro, tenha em mente que nada é 100% seguro, se proteja o máximo que puder e siga em frente, pois o ráqui de hoje, nunca será o hacker de amanhã!

Não se esqueça de compartilhar este artigo, principalmente para aquele  manjador de havij 🙂 

OBS: Este artigo é apenas para descontração, os fatos aqui mencionados “não” condizem com a realidade!

Comentários