Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Marcelo Gaspar

Desvendando o BPM (parte 9)

Desenho de processos (parte 4)


Dando continuidade em nossa abordagem sobre BPM , hoje vamos comentar um pouco mais sobre Princípios de Desenho de Processos, utilizando como base o Guia para o gerenciamento de processos de negócio – Corpo comum de conhecimento - CBOK® (ABPMP) versão 2.0. 2009. 

  • D esenho em torno de interações com o cliente:
    • Ponto de contato dentro da organização e oportunidades para mostrar o sucesso ou fracasso em atender as necessidades do cliente. A experiência de cliente é dependente dos processos primários de negócio que interagem diretamente com ele e os processos de suporte interno que influenciam a qualidade da experiência de cliente indiretamente.
  • Desenho através de atividades de agregação de valor:
    • Estudo do fluxo ‘as-is’ e determinação de onde as atividades de agregação de valor são realizadas e, então, explorar um meio para habilitar essas atividades de maneira mais eficiente e eficaz.
  • Minimizar handoffs:
    • Ocorre quando a propriedade de uma atividade ou informação é passada de um indivíduo a outro; é uma grande oportunidade de falha no processo.
    • Melhor prática – simplificar de handoffs e limitar sempre que possível.
  • Trabalho sendo realizado onde faz mais sentido:
    • O espaço físico e os cargos atuais não podem ser restrições; pode ser necessário criar posições para permitir que o fluxo do processo seja operado com a maior eficiência e eficácia.
  • Estabelecer um ponto único de contato:
    • Pode ser um gerente de projetos, consultor ou representante.
  • Criar processo separado para cada grupo:
    • Frequentemente um processo único tenta absorver todas as variações. Entretanto, as entradas e saídas do processo podem frequentemente variar em complexidade, tipo, tamanho, etc.. Para algumas variações, o processo pode funcionar bem, mas para outras pode ficar confuso e lento.
  • Assegurar o fluxo contínuo:
    • O cliente paga pelo resultado da cadeia de valor. O pensamento Lean (enxuto) recomenda que nada deve interromper ou retardar a cadeia de valor.
  • Reduzir o tamanho do lote:
    • Diminuir o tamanho dos lotes para facilitar o fluxo no processo – Ideal: processamento de transações em tempo real.
  • Redesenhar e depois automatizar:
    • Primeiro é necessário empregar princípios de redesenho, benchmarking, melhores práticas e pensamento Lean antes de automatizar.
  • Assegurar a qualidade no início:
    • Começar bem o projeto para não ter de utilizar ações corretivas.

COMPARTILHE

Marcelo Gaspar
Marcelo Gaspar3 Seguidores 58 Publicações
Seguir

Comentários