Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Wellington Moreira

O Ano Não Começa Após o Carnaval


Caso se sinta prejudicado pela paradeira geral em sua área de atuação neste momento, comece a atuar já para não se ver em apuros quando o Carnaval passar.


carnaval

“O ano só começa no Brasil depois do Carnaval”. Este mantra é repetido tantas vezes por algumas pessoas que elas realmente parecem acreditar que só após o dia 12 de fevereiro deste ano terão liberdade para movimentarem suas vidas de maneira produtiva. Ainda bem que são poucas aquelas que pensam assim, permanecendo em letargia durante um trimestre inteiro iniciado com as festas de dezembro.

Dando um exemplo significativo, a chamada Economia do Axé representa apenas 3% do PIB anual de Salvador. Então, de onde veem os 97% restantes? Do trabalho cotidiano executado por pessoas que aproveitam os festejos sim, mas que também trabalham o ano todo na produção de riquezas.

Mesmo que você resida na capital baiana (ou qualquer outro município brasileiro) e esteja consciente das dificuldades para encontrar algumas pessoas nesta época por estarem gozando as merecidas férias ou preocupado com o desaquecimento sazonal, lembre-se de que nem todos estão parados e que vendas mais baixas em determinados períodos do ano são comuns em qualquer tipo de mercado.

Por isto, caso se sinta prejudicado pela paradeira geral em sua área de atuação neste momento, comece a atuar já para não se ver em apuros quando o Carnaval passar. É que as coisas podem até não acontecer agora, mas quanto mais tempo você levar para desenvolver as iniciativas necessárias, mais tarde ainda os resultados virão. Ou seja, se você não se movimentar hoje, talvez colha frutos só em junho, comprometendo o ano como um todo.

É comum muita gente ter tempo livre por estes dias, então por que não realizar as atividades que jamais concretizará quando a sua alta temporada estiver em curso? Por exemplo, este é um bom momento para realizar mudanças na estrutura organizacional da empresa, dirigir energia para os projetos que ainda não saíram do papel e estreitar relações com os principais clientes – pelo menos aqueles que já voltaram das férias.

Para quem está procurando um novo emprego também é uma ocasião propícia, pois várias companhias aproveitam para fazer contratações no início do ano. E como a imprensa sempre publica, o número de pessoas que vai até as agências de emprego em janeiro é bem menor do que em outros meses, facilitando a disputa pelas melhores vagas.

Se você está bem empregado e pretende dar uma guinada na carreira, vale a pena apresentar suas ideias ao chefe nestes próximos dias, já que ele provavelmente está mais aberto a escutar aquilo que você tem a dizer. E também é bom lembrar que novos hábitos são adotados mais facilmente nesta época por causa do desejo de mudança que invade cada um de nós sempre que um novo ano se inicia.

Concordo que procrastinar as ações estratégicas para depois do Carnaval pode se revelar uma medida correta em algumas – poucas – situações, desde que bem avaliados os riscos de tal adiamento. Todavia, não é esta a realidade da maior parte das pessoas que prorrogam a execução daquilo que precisa ser feito o quanto antes e sim a preguiça ou irresponsabilidade que carregam dentro de si sempre que são obrigados a se reinventar. Uma pena, pois se veem como reféns das circunstâncias.

É claro que estes argumentos singelos também guardam suas fronteiras. Em fevereiro de 2012, o deputado federal Romário, um conhecido baladeiro carnavalesco expressou sua indignação diante da ausência dos parlamentares na Câmara Federal. “Tem três semanas que venho a Brasília para trabalhar e nada acontece. Espero que na minha próxima vinda tenha alguma p**** pra fazer. Ou será que o ano só vai começar depois do carnaval?”. Neste caso, a resposta é sim.

Wellington Moreira
wellington@caputconsultoria.com.br

    COMPARTILHE

    Wellington Moreira
    Wellington Moreira13 Seguidores 71 Publicações CEO
    Seguir
    Palestrante e consultor empresarial em Formação de Lideranças, Desenvolvimento Gerencial e G. Estratégica, professor de pós-graduação. Mestre em Adm. de Empresas, MBA em G. Estratégica de Pessoas, autor dos livros Líder tático e O gerente intermediário.

    Comentários