Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Wellington Moreira

Como Sobreviver à Pressão no Trabalho

A importância de saber lidar com as pressões do dia-a-dia de trabalho é destacada pela consultora Viviane Rodrigues em seu mais novo artigo.


Hoje vamos conversar sobre como lidar com as pressões diárias!

Como um bom profissional, você enfrenta ou enfrentará muitas e grandes pressões e, a não ser que as administre eficazmente, poderá considerar que o seu desempenho não vem sendo tão bom quanto sabe que ele pode ser, e também poderá sucumbir aos danos físicos ou emocionais do stress.

O segredo de saber lidar com as pressões é fazer com que elas trabalhem ao seu favor, e não contra você, ainda o ajude a ser mais eficiente no trabalho e colabore para que desfrute de uma vida mais longa e saudável.

Todos nós precisamos de pressões para alcançar os melhores resultados , pois são elas que nos ajudam a direcionar melhor o nosso trabalho e a não ficarmos acomodados.

Porém, é fundamental compreender que há pressões que são positivas (contribuem para a nossa construção pessoal e profissional, que nos deixa em estado de prontidão, nos estimula e nos energiza) e também há as que são negativas (sinônimos apenas de esforço e tensão ou são fastidiosas, desestimulantes e causam sonolência).

As pressões negativas - altas demais ou muito baixas (sem exigência), devem ser evitadas, pois causam stress. E quando gerado o stress, tal pressão traz graves desconfortos, doenças e até morte prematura para quem sofre. E para a empresa, geralmente significa funcionários com desempenho medíocre, pouca eficácia e ineficiência.

Urgentemente as organizações precisam deixar de acreditar no princípio “sobrevivência do mais apto” , pois pensar e agir assim só causa danos à vida das pessoas e também falha em criar um clima propício ao sucesso.

Para fazer com que as pressões o auxilie, procure seguir essas orientações:

· Controle o próprio nível de pressão – evitando que ela passe do seu limite ou não exista dentro do seu trabalho ou da sua vida. Assim, conseguirá eliminar o stress, tão prejudicial para o seu desempenho e para a sua saúde.

· Reconheça como as pressões afetam você – procure perceber as mudanças que elas tem provocado em você. Veja se são positivas ou negativas e assim mantenha-as ou substitua-as por aquelas que realmente contribuirão para o seu desenvolvimento e transformação.

· Crie um guia de sobrevivência pessoal – indicando quais os exageros que devem ser evitados em seu dia-a-dia e que não estão trazendo nenhum benefício. Da mesma forma, aponte o que você poderia inserir em sua vida para que pudesse tirar maior proveito das pressões. Ex: ter momentos de relaxamento; cuidar mais de você (reservando momentos em que você possa fazer algo que lhe dá prazer); organizar melhor o seu tempo; praticar atividades físicas em que não haja competição; etc.

· Procure observar como você cria pressões para si próprio e tome as medidas para se prevenir

· Desenvolva a Assertividade – pois ela lhe ajudará a: saber dizer "não" a pedidos inadequados ou injusto; manifestar-se em reuniões e certificar-se de que suas opiniões são ouvidas; sentir-se à vontade para expressar suas opiniões se discordar dos pontos de vista de outra pessoa; ser capaz de aceitar críticas e elogios quando são construtivos; ser capaz e ter disposição de fazer elogios e críticas construtivas; ser capaz de lidar com reprimendas ou humilhações sem iniciar uma briga; enfrentar decisões difíceis e não fugir delas.

· Crie equilíbrio em sua vida – evite hábitos prejudiciais à saúde para enfrentar as pressões. São eles: o cigarro, os tranqüilizantes, o álcool, o café, alimentos de baixo valor nutritivo e doces. Tudo isso oferece satisfação a curto prazo, fazendo com que você se sinta bem por alguns momentos, mas podem se tornar perigosos e ser usados em momentos em que não esteja sob pressão.

· Prepare-se melhor e adote uma atitude mais relaxada diante das pressões
Tenho certeza que conseguirá lidar melhor com as pressões ao seguir essas dicas e principalmente ao pensar que diante das adversidades, pressões e dificuldades é que poderá dar “sabor à vida e ao trabalho” .

Não podemos reagir como a cenoura e nem como o ovo, quando estão diante de dificuldades. E 'sim', devemos reagir como o café. É o que nos ensina a bonita história abaixo, confira!

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir.

Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido um outro surgia.

Seu pai, um "chef", levou-a até a cozinha dele. Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Logo as panelas começaram a ferver.

Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e, na última pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra.

A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás. Pescou as cenouras e as colocou em uma tigela. Retirou os ovos e os colocou em uma tigela. Então pegou o café com uma concha e o colocou em uma tigela.

Virando-se para ela, perguntou "Querida, o que você está vendo?"

"Cenouras, ovos e café," ela respondeu.

Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.
Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias.
Ele, então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.
Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.
Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso.
Ela perguntou humildemente: "O que isto significa, pai?"
Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, água fervendo, mas que cada um reagira de maneira diferente.

A cenoura entrara forte, firme e inflexível. Mas depois de ter sido submetida à água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil.

Os ovos eram frágeis. Sua casca fina havia protegido o líquido interior. Mas depois de terem sido colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rigido.

O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora colocado na água fervente, ele havia mudado a água.
"Qual deles é você?" ele perguntou a sua filha. "Quando a adversidade bate a sua porta, como você responde?

Você é uma cenoura, um ovo ou um pó de café?"

E você?

Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor, as pressões e a adversidade você murcha e se torna frágil e perde sua força?

Será que você é como o ovo, que começa com um coração maleável? Você teria um espírito maleável, mas depois de alguma morte, uma falência, um novo desafio no trabalho, um desentendimento com o esposo ou uma demissão, você se tornou mais difícil e duro? Sua casca parece a mesma, mas você está mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito inflexíveis?

Ou será que você é como o pó de café? Ele muda a água fervente, a coisa que está trazendo a dor, a pressão, para conseguir o máximo de seu sabor, a 100 graus centígrados. Quanto mais quente estiver a água, mais gostoso se torna o café. Se você é como o pó de café, quando as coisas se tornam piores, você se torna melhor e faz com que as coisas em torno de você também se tornem melhores.

Como você lida com as pressões?

Você é uma cenoura, um ovo ou café?

Wellington Moreira

wellington@caputconsultoria.com.br

COMPARTILHE

Wellington Moreira
Wellington Moreira13 Seguidores 71 Publicações CEO
Seguir
Palestrante e consultor empresarial em Formação de Lideranças, Desenvolvimento Gerencial e G. Estratégica, professor de pós-graduação. Mestre em Adm. de Empresas, MBA em G. Estratégica de Pessoas, autor dos livros Líder tático e O gerente intermediário.

Comentários