Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Victor Requião

Criando conteúdos digitais de impacto



Imagem sobre conteúdo
Conteúdo digital de impacto

Lembro como se fosse hoje, meados de 1997 quando entrevistaram na televisão um escritor qual o nome agora não me vem à cabeça e depois de algumas perguntas soltas sobre sua vida e carreira, o entrevistador então finalizou:

- Você acha que a Internet pode afetar a formação dos novos leitores, já que em geral as pessoas no Brasil leem tão pouco?

- Acredito que não, afinal a Internet é basicamente escrita, então acima de tudo as pessoas precisam ler o que está na tela para o que veem fazer sentido. É o conteúdo que traz a razão de a Internet existir, a tela brilhante sozinha é inútil.

Apesar de a entrevista ter acontecido em uma época em que a Internet ainda engatinhava no Brasil, hoje mais do que nunca percebo o quanto ele tinha razão...

Hoje quando lembro da entrevista penso de imediato no interessante artigo "Content is king ("Conteúdo é rei") que Bill Gates escreveu em 1996, e qual só fui ler depois de ter assistido aquele programa de televisão. I nteressante mesmo é que o artigo foi escrito um ano antes do programa ter ido ao ar, e as ideias do escritor e as de Gates parecem se unir como elos de uma corrente.

Quando o artigo foi publicado, o mercado digital ainda não era maduro o quanto é hoje, mas mesmo 17 anos depois as ideias de Gates permanecem bem atuais e sempre são discutidas quando se pensa em estratégia de conteúdo para a Internet. De todas os pontos do artigo, este realmente me chamou a atenção quando o li pela primeira vez:

"Se é esperado que as pessoas leiam numa tela digital, elas precisam ser recompensadas com informações altamente relevantes e atualizadas para que possam explorar a vontade. A grande oportunidade é que as pessoas precisam de um envolvimento pessoal com o conteúdo que não consegue ser oferecido pelos meios tradicionais de mídia, como TV, rádio, revistas, etc. Os bem-sucedidos serão aqueles capazes de impulsionar a Internet como um mercado de ideias, experiências e produtos – enfim, um mercado de conteúdo."

Com a variedades de meios à nossa disposição, pensar em conteúdo é algo quase que intuitivo, tanto o criamos a todo o momento quanto somos afetados por ele a cada instante nas suas mais diversas formas. Mas quando se pensa em Estratégia Digital o que realmente importa é desenvolver o pensamento capaz de produzir conteúdo que tenha significado e relevância para as pessoas, só assim é possível gerar interesse e construir relações de longa duração na Internet. Mas para isto, acima de tudo é preciso saber ouvir e conhecer o que as pessoas têm a dizer...

Encontrando o público-alvo e sentindo a sua "dor"

Apesar dos inúmero dispositivos digitais e gadgets que temos à nossa mão, nos bastidores de cada um deles há uma pessoa como você e eu. Independente de todas as mudanças causadas pela Internet, certamente a mais profunda de todas é que ela expôs as necessidades e interesses humanos de maneira muito ampla e dinâmica. Assim, qualquer Estratégia Digital precisa responder claramente a seguinte pergunta: "Com quem eu quero falar?". E logo em seguida, "Como eu posso criar algo que alivie a sua dor?".

Responder a primeira pergunta, envolve pesquisar e definir claramente quem é o público que poderá se interessar pelo que você tem a dizer. Já a segunda foca na forma com se pode engajar essas pessoas atendendo alguma de suas necessidades, interesses, ou mesmo ajudando-as a resolver algum problema específico qual você já tenha aprendido a resolver. É entender onde "dói" e mostrar que você sabe como ajudar, afinal esta "dor" é sua também.

Assim, se me interesso por veleiros eu tenho muito mais clareza sobre as necessidades e interesses das pessoas que também gostam de velejar, que daquelas outras que só gostam de motocross . Sem contar que a interação com o próprio esporte e o relacionamento com outros velejadores me trará um entendimento profundo sobre os desejos desse público – só assim eu poderei ser útil ao criar um conteúdo que irá beneficiá-los de alguma maneira.

O mais interessante disto é que por sentir as "dores e desejos" do seu público-alvo as pessoas perceberão claramente que quem fala do outro lado é de fato igual a eles. E por consequência, passarão cada vez mais a lhe dar credibilidade porque sabem que a necessidade delas é realmente entendida por você.

Assim, você pode alcançar milhões de pessoas desta forma ao criar conteúdo que elas tenham interesse em compartilhar com as demais do círculo qual pertencem – com isto o alcance da sua ideia é ampliado pois houve uma identificação genuína entre o seu conteúdo e o seu público-alvo. É esta a oportunidade que a Internet oferece de criar conteúdos digitais que estão além da tecnologia ou dispositivo, que são únicos por serem capazes participar do comportamento humano de se socializar em torno de um interesse comum.

As três ações para criar conteúdos digitais de impacto

Mesmo entendendo bem quem é o seu público-alvo e como pode "aliviar a sua dor", é importante que você preste bem atenção nestas três ações que são vitais para gerar impacto com o seu conteúdo digital:
  • Foque em públicos de nicho que permitem uma maior personalização do conteúdo. Trabalhar com grupos de interesses bem específicos aumenta as chances das pessoas se identificarem de imediato com o conteúdo e terem a percepção de que ele foi criado exclusivamente para elas – o quê por consequência aumenta o poder de viralização dentro do próprio nicho.
  • Produza conteúdo que você mesmo tenha interesse em dar continuidade e manter-se sempre criando, isto é uma garantia de que a sua estratégia não morrerá no curto prazo. Em outras palavras, mesmo que você conheça bem o assunto que queira falar é preciso que realmente goste dele. Senão é bem provável que com o passar do tempo você se canse, e a sensação de "deu um branco" seja cada vez mais frequente até o ponto em que você o abandone de vez. Criar conteúdo não é um tiro curto, mas uma atividade que envolve "encantar" as pessoas constantemente.
  • Desenvolva o seu conteúdo digital para que ele não fique restrito a um único meio de comunicação ou dispositivo. Crie para que ele se comporte como um "líquido" que é capaz de se adequar naturalmente a qualquer "recipiente" em que for colocado sem perder a sua essência original.
Desde que publiquei no meu blog há mais de um ano atrás o artigo " A arte de empreender: contando histórias ", venho constantemente interagido com pessoas e empresas que possuem conteúdos interessantíssmos mas que na prática não expressam todo o potencial que têem...

Agora eu gostaria de saber de você, o que está fazendo para criar uma presença de impacto na Internet?

Este texto é uma continuação do meu artigo anterior " Os 7 pilares de uma Estratégia Digital eficiente ", confira!


Referência: Content is King - http://www.craigbailey.net/content-is-king-by-bill-gates/

COMPARTILHE

Victor Requião
Victor Requião2 Seguidores 2 Publicações
Seguir

Comentários