Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
William Meller

Visão: Uma qualidade essencial para jovens profissionais de TI



Somente uma visão clara de tudo o que você está envolvido é capaz de fazer você evoluir de forma completa e madura em qualquer ambiente ou empresa. 

Quando você entra em uma empresa de TI diferente independente do tamanho desta empresa, se depara com uma nova cultura e formas diferentes de pensar que estão impregnadas na cultura que esta empresa construiu.

É muito comum hoje em dia em empresas de grande porte, principalmente multinacionais, os novos funcionários passarem por processos de integração para conhecer a cultura da empresa e a maneira que a empresa constrói e estabelece seu estilo de trabalho entre as equipes.

Um passo importante para você que está entrando em uma nova empresa é tentar entender tudo sobre a sua forma de fazer negócio e oferecer valor para seus clientes, ou se for o caso conhecer inteiramente o departamento em que está se envolvendo.

Para tentarmos nos situar melhor nesta questão, v amos conhecer a história de Marcelo e de Eduardo:

Marcelo e Eduardo entraram na mesma semana em uma multinacional de desenvolvimento de software , Eduardo no Suporte Técnico e Marcelo como Analista de Testes.

Marcelo tinha 23 anos e estava ainda decidindo se iria seguir seus estudos em uma graduação superior em redes que ele gostou em seu técnico de informática ou se estudava para possivelmente fazer um concurso público enquanto via as oportunidades que poderia ter nesta nova empresa.

Já  Eduardo tinha 20 anos e como já sabia que queria ser um desenvolvedor de software e especialista em SaaS, estava cursando o terceiro semestre de Ciência da Computação e corria atrás de algumas certificações na área para comprovar seus conhecimentos.

Logo na primeira semana na empresa, ambos passaram pelo processo de integração para conhecer todos os setores e equipes da empresa.

Marcelo, estava muito interessado em entender que vagas poderiam estar livres em cada setor, para futuramente pensar em se candidatar para algumas delas.

Já Eduardo estava focado em fazer o máximo possível de networking entre os funcionários envolvidos em cada projeto e setor diferente da companhia e que pudessem lhe ensinar algumas coisas sobre cada atividade que a empresa estivesse envolvida e projeto que estivessem em desenvolvimento.

No decorrer dos meses pela empresa, Marcelo conseguiu descobrir algumas vagas pela empresa conforme gostaria, e decidiu que iria aguardar os primeiros 18 meses obrigatórios para poder se candidatar para algumas delas.

Já Eduardo conseguiu contato com diversos setores da empresa e dentro de seu departamento já havia construído a confiança de seus líderes, sempre comprometido e empenhado com os processos da empresa e bater suas metas.

Porém Eduardo estava comprometido em conhecer também as formas de negócio que sua empresa oferecia, e tentava a todo momento oferecer sugestões que pudessem melhorar a forma de entregar valor para os clientes da empresa.

Antes dos 18 meses necessários para ter uma promoção na empresa, Eduardo acabou sendo convidado para substituir o demitido programador júnior da empresa e teve seu primeiro contato com desenvolvimento de software na empresa, e Marcelo achando aquilo tudo uma sacanagem com ele, decidiu trocar de empresa, afinal, ele estava acostumado com trocas de empresas.

Marcelo ia repetir essa atitude mais algumas vezes por mais algumas empresas até perceber que estava jogando sua carreira fora e estudar para um concurso público que iria lhe garantir mais estabilidade mesmo que não pudesse fazer o que mais gostasse em sua carreira.

Já Eduardo continuou crescendo em sua empresa e após um bom tempo de casa, decidiu construir sua própria empresa de desenvolvimento de software SaaS, aproveitando todo o conhecimento e Know-How que adquiriu neste tempo tempo como especialista em uma multinacional.

Depois de muito tempo e o sucesso da empresa de Eduardo se consolidar, os dois se encontraram novamente e após alguma conversa, Marcelo foi convidado para trabalhar na área de testes da empresa de Eduardo, como seu funcionário.

O que você achou desta história?

Sabia que assim como Marcelo, existem diversos jovens que já entram em muitas empresas pensando em se acomodar e nem pensam em seu crescimento profissional e as possibilidade que lhe cercam.

Já Eduardo sempre foi um jovem com uma visão empreendedora e que entendia que se quisesse crescer e construir uma carreira de sucesso, precisaram muito mais do que apenas conhecimento, precisaram construir relações importante e se comprometer realmente com seus objetivos profissionais.

Há um conceito que eu trabalho constantemente em meu projeto, o Sucesso Jovem, que é o intraempreendedorismo e a capacidade de desenvolver uma mentalidade empreendedora mesmo que ainda como funcionário dentro de uma empresa.

Isso significa construir a visão de dono do negócio e se comprometer com os resultados que você está entregando para a empresa em que trabalha e os clientes desta empresa.

Saiba que ter visão vai muito além de enxergar além e entender do negócio em que está envolvido. Ter visão é enxergar possibilidade e oportunidades onde ninguém está conseguindo enxergar, ou pior, onde a maioria está vendo uma crise.

Construa desde já uma visão que enxergue muito mais do que você pode imaginar para seu futuro, e veja em seu trabalho de hoje uma oportunidade para começar a dar os primeiros passos para alcançar o sonho que você tanto deseja e todos os objetivos que cercam este sonho.

COMPARTILHE

William Meller
William Meller16 Seguidores 6 Publicações Gerente de Projetos, Estudante, Analista de Conteúdo, Analista de Suporte
Seguir

Comentários