Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
Publicação

7 Dicas para um blog profissional

foto de
Claudio Gomes Silva Leite

Para muitas pessoas, um blog profissional tem que atender a um requisito único: gerar receita – e quanto mais, melhor. Isso é até verdade, mas em parte.

Eu considero um blog profissional aquele que leva o leitor a sério, através de comprometimento, buscando, sempre, atender às suas necessidades e expectativas com conteúdo de qualidade e relevância.

A geração de receita será, tão somente, uma consequência do engajamento e da fidelização desse leitor. Aliás, eles acontecerão pela reciprocidade; afinal, um blogueiro que supre as demandas de um público ávido por conteúdo relevante, merece uma demonstração de gratidão por parte deste. Isso se dá no nível do inconsciente. É o chamado gatilho mental da reciprocidade.

Vou passar às minhas 7 dicas para um blog profissional. Claro, elas não esgotam o assunto por completo, mas já servem de norte, para quem está iniciando na blogosfera.

Então, vamos lá.

#1: Definir o nicho de mercado com o qual você mais se identifique

Esta é a dica mais importante, daí ser a número 1.

Não adianta você querer criar um blog em determinado nicho se esta não for “sua praia”. Apesar de gerar receita, você não vai conseguir levá-lo adiante, por muito tempo. Blogar implica em dedicação e entrega – e isso a gente só faz se, realmente, gostar. Claro, que há sempre a possibilidade de você se apaixonar por este novo nicho de mercado, ao conhecê-lo mais profundamente. Isso acontece!

Agora, se não acontecer, você não vai suportar o peso de ser obrigado a fazer algo que não gosta.

Criar um blog genérico, no qual você vai tratar de todo tipo de assunto, não vai trazer os resultados esperados porque você vai concorrer, diretamente, com os grandes portais, como o UOL, Terra, R7, G1, etc.

Ao definir um nicho específico, por mais que você encontre concorrência, não será com gigantes do mundo virtual. E se você focar em um micro-nicho, então, as chances de seu blog dar certo serão muito maiores.
O que são micro-nichos?

Imagine que você seja apaixonado por carros.

Ao invés de criar um blog sobre carros, você pode ir afunilando, até encontrar o micro-nicho ideal, que faz seus olhos brilharem.

Exemplo:

    Carros da montadora Ford.
    Carros antigos da Ford.
    Ford Corcel (quem é mais antigo, sabe do que estou falando).
    Ford Corcel Sedan 1975
    Ford Corcel Sedan GT 1975

Entendeu a ideia? Você passou de toda uma linha de carros da montadora Ford para um modelo e ano específicos. Isso é um micro-nicho.

E esta mesma linha de raciocínio pode ser aplicada para qualquer outro micro-nicho!
#2: Escolher o domínio

Agora que você já sabe em qual nicho – ou micro-nicho – vai atuar, torna-se imperativo que o seu domínio seja bem escolhido. Domínio é o nome do seu blog.

Aqui, você pode lançar mão de uma ferramenta gratuita do Google, chamada Planejador de Palavras-chave (Keyword Planner) para saber quais são as melhores palavras-chave a utilizar (sempre que possível, claro) no seu domínio.

Eu não vou entrar em detalhes de como utilizar esta ferramenta do Google, pois há inúmeros tutoriais, em textos e vídeos, ensinando como fazê-lo. Quero, apenas, salientar, que ela deve ser utilizada, também, no momento de criar títulos para seus artigos.

Onde e como escolher o domínio?

Você poderá fazê-lo em qualquer servidor de hospedagem; eu utilizo, o HostGator.

Bem ao centro da página principal, você tem o campo “Registre seu Domínio.”

Em “insira aqui o domínio desejado,” você digita o nome do seu domínio e verifica se está disponível. A resposta aparecerá imediatamente abaixo.

Se ele não estiver disponível, você pode tentar com uma extensão diferente. Existem dezenas de extensões, mas dê preferência às .com, .com.br e .net. Elas são indexadas mais facilmente pelos mecanismos de pesquisa.

No próprio HostGator você pode registrar esse novo domínio. O valor fica em torno de R$ 30,00 ao ano e o pagamento pode ser efetuado via cartão de crédito ou boleto bancário, enfim.

Por que um domínio pago?

Simples. É a única forma de você ter seu trabalho encarado com seriedade. Nada impede de criar um blog no blogspot, mas se você, realmente, deseja ter um blog profissional, precisa pagar o preço. Aliás, é possível, sim, você criar um blog nesta plataforma e registrar um domínio com extensão menor e melhor indexada pelos motores de busca. Uma rápida pesquisa no Google vai resultar em farto material que te ensina a fazer isso, passo a passo.

Muito importante: não basta, apenas, registrar um domínio; você vai precisar contratar um plano de hospedagem, com pagamentos mensais, trimestrais, semestrais, anuais, bienais ou trienais. Fica a seu critério!

Nele, eu tenho direito a domínios ilimitados, pagando uma única mensalidade.

Repetindo, para que fique bem claro: se você registrar 1000 domínios, continuará pagando UMA ÚNICA MENSALIDADE DE HOSPEDAGEM, neste plano.

O que você pagará por cada domínio será o seu registro, que é ANUAL (cerca de 30 reais)!

O suporte atende 24 horas, 7 dias por semana – e é muito prestativo e eficiente! Ainda lhe envia a transcrição da conversa, para o seu e-mail!

#3: Escrever artigos originais, de qualidade e altamente relevantes para seu leitor

Esta é a parte mais trabalhosa. Daí, a importância de ter um blog em um nicho com o qual você se identifique.

Suponhamos que você fosse um marceneiro, obeso,  sedentário e criasse um blog no nicho de emagrecimento, sobre o qual você nada sabe. Como iria escrever artigos originais, de qualidade e relevantes para seu leitor?

E é justamente isso que ele está buscando. Ele não está interessado em ler, no seu blog, algo que já leu em outros. Ele busca algo novo, que venha acrescentar saber, conhecimento – e lhe traga resultados.

Você precisa oferecer algo único, que ele não vai encontrar em outro lugar; somente no seu blog!

Embora esta seja a parte mais difícil e trabalhosa, produzir conteúdo pode tornar-se algo prazeroso, e até viciante, quando você conhece as técnicas corretas para fazê-lo.

Se desejar saber como se tornar um redator que produz textos memoráveis, que vão deixar seus leitores com aquele gostinho de quero mais.

#4: Utilizar um template personalizável e responsivo

O template, ou tema, é a aparência do seu blog. O que o leitor verá, ao acessá-lo.

Sua escolha é extremamente importante, principalmente para o quesito leitura. Ele tem que tornar a leitura agradável, com um tamanho de fonte que não a torne enfadonha.

Na plataforma WordPress existem cerca de 2.000 templates, que vão dar uma aparência profissional ao seu blog – todos gratuitos!

Não existe um específico para o seu blog. Aqui, entra a boa e velha paciência, onde você vai testar aqueles que mais lhe agradar, alguns com mais ou menos recursos; o importante é que, com paciência, você vai encontrar o template ideal a adotar e personalizá-lo como desejar.

Existem, claro, os pagos, mas para quem está iniciando, aqueles encontrados no WordPress são mais do que suficientes para atender suas necessidades.

Um template responsivo é aquele que exibe seu conteúdo em qualquer tipo de aparelho usado para acessar a internet. Pode ser um desktop, laptop, tablet ou smartphone, não importa. Ele é exibido da mesma forma. Deve-se levar este detalhe em consideração, ao escolher um template, já que as pessoas querem estar online o tempo todo, em todo lugar.

#5: Estar acessível ao seu leitor

Ofereça um formulário de contato, quer seja através dos “Comentários”, ao final de cada artigo (você pode habilitar esta função), quer seja através de uma aba de “Contato,” no menu principal. Neste segundo caso, é imprescindível que você use um e-mail de contato profissional, do tipo, contato@seublog.com.br. E-mails particulares jamais devem ser usados. Isso não passa credibilidade, muito menos profissionalismo!

Imagina a seguinte situação. Um leitor tem uma dúvida, após a leitura de um artigo. Ou uma empresa desejando anunciar no seu blog. Se eles não encontrarem um canal de comunicação com você, simplesmente, vão procurar outro blog.

#6: Responder a todos

Agora, não adianta você ter um formulário de contato ou algum comentário feito ao final de cada artigo, se não der um feedback.

Isso gera engajamento, isto é, você desenvolve um relacionamento com seu leitor.

Quanto maior for este engajamento, maior será a confiança depositada em você, no seu blog, conferindo-lhe autoridade perante seus leitores. E maiores serão as chances dessas pessoas adquirirem algum produto que você indicar.

#7: Agir com ética, sempre!

Nos dias de hoje, onde muitos tentam conseguir seu lugar ao sol, acreditando que os fins justificam os meios, ser ético é sinônimo de ser bobo, para não usar termos mais fortes.

A ética deve nortear sua vida, sempre, principalmente na blogosfera. Muitos acham que ela é terra de ninguém, onde somente os mais fortes, obstinados e agressivos sobrevivem.

E o que é ética, na blogosfera?

É o uso do velho, e sempre atual, bom senso.

Começa com você não copiando e colando artigos de outrem; até porque o Google identifica isso muito facilmente e pune o seu blog, na hora de rankear.

Isso, sem falar em seu leitor. Imagina que um deles se depare com um artigo “seu,” igualzinho a outro, encontrado, minutos antes, em outro blog! Parece absurdo? Eu mesmo já encontrei TRÊS artigos idênticos, em TRÊS blogs diferentes, claro, todos do mesmo nicho. Por acaso.

Quando isso acontece, seu leitor se sente traído e sua imagem fica arranhada, eu diria, para sempre! Eu mesmo, nunca mais retornei àqueles blogs.

Outro exemplo de ética é você publicar um artigo, que lhe deixou fascinado, em seu blog, mediante consentimento prévio de seu autor e mencionando a fonte.

Dadas as 7 dicas para um blog profissional, seguem, abaixo, duas dicas extras.

# 8: Cuidado com o português!

É comum encontrar na internet blogs que faturam 5, 6 dígitos anuais, mas que contêm erros linguísticos aberrantes!

É claro que não mencionarei nenhum deles aqui, por uma questão de ética, mas é triste ver tantos profissionais pecando em coisas tão básicas, como concordância verbal ou pontuação, por exemplo.

Muitos desses erros ocorrem, certamente, no afã de criar o máximo de conteúdo e publicá-lo o mais rapidamente possível; mas o simples uso do corretor ortográfico do Word apagaria a imagem errônea de que alguns blogueiros famosos não dominam a língua portuguesa.

#9: Investir é preciso

Tenha em mente que é necessário investir, para obter o retorno tão almejado com seu blog.

Esse investimento pode ser a compra de um template personalizado, plugins e contratação de um serviço profissional de autoresponder, para sua lista de e-mail marketing; ou, simplesmente, a aquisição de cursos e treinamentos, para desenvolvimento pessoal, no seu nicho de atuação.

Não esqueça que o aprendizado é constante, não importa a área em que atue.

Comentários