Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Fernando Palma

Negociação sem manipulação


Por Roberiton Ribeiro



Negociação


Negociar é uma habilidade que todo gerente de projetos deve ter. No ambiente de gerenciamento de projetos, a negociação está presente a todo momento. É preciso, por exemplo, negociar com fornecedores melhores condições de prazo e custo e com os gerentes funcionais a alocação de seus recursos especialistas nas atividades do projeto.
Negociação é um processo em que duas ou mais partes discutem suas propostas com o objetivo de alcançarem um acordo quanto a seus interesses que podem ser comuns ou antagônicos. Numa negociação, o resultado final pode ser :
  • Perde/Perde – ambas as partes não suprem suas necessidades. A negociação é mal feita e, apesar de um dos lados sair com a sensação de que fez um bom negócio, ambos saem perdendo com o acordo formado.
  • Perde/Ganha e Ganha/Perde – uma das partes alcança seus objetivos enquanto a outra não. A diferença entre Perde/Ganha e Ganha/Perde é o lado da mesa ao qual você está fazendo parte.
  • Ganha/Ganha – ambas as partes alcançam seus objetivos. Aconselha-se que é preciso se esforçar para sempre alcançar um resultado ganha/ganha nas negociações.
  • Nenhum resultado – quando a negociação não se concretiza, ou seja, nenhuma das partes ganha ou perde.
Negociação é um processo que corre  no tempo, ou seja,  passado, presente e futuro. Portanto, para se ter uma boa negociação (presente) é preciso planejamento (passado) para chegar ao resultado esperado (futuro). Como dito acima, a negociação ideal é a do tipo ganha/ganha, pois este tipo de negociação permite um relacionamento duradouro entre as partes negociadoras e é construído um canal de credibilidade entre ambos. Em uma negociação onde uma das partes se sente derrotada, a probabilidade de negociações futuras com a parte “vencedora” é menor.

É possível que em algumas negociações, em que o resultado final foi Perde/Ganha, a parte “derrotada” pode ter se sentido manipulada pela parte “vencedora”. Isto se deve a desequilíbrios de alguns elementos entre as partes negociadoras que, se prensarmos bem, são elementos permanentes nas negociações.
  • Desequilíbrio de Poder – quando uma parte exerce poder sobre a outra.
  • Desequilíbrio de Tempo – pressão do tempo que uma das partes tem para tomar uma decisão.
  • Desequilíbrio de Informação – uma parte tem mais informação ou conhecimento do que a outra.
  • Desequiíbrio de Percepção – percepções equivocadas, distorcidas que não faz a outra parte perceber o que realmente está acontecendo.
Estes desequilíbrios podem induzir que uma parte negociadora manipule a outra. Esta é uma das razões que justificam a necessidade de se planejar bem antes de sentar numa mesa de negociação. É preciso conhecer bem seus objetivos, definir suas estratégias, pontos de recuo, estabelecimento de tolerâncias, conhecer ou ter informações sobre com “quem” você está negociando, simular a negociação e etc.
Ir à uma negociação despreparado, significa estar vulnerável a uma possível manipulação da outra parte. Esta manipulação dependerá exclusivamente dos valores éticos e profissionais da parte que está mais preparada para a negociação. Portanto, o gerente de projetos, assim como qualquer outro profissional que senta numa mesa de negociação, deve estar preparado para não correr riscos de ser manipulado durante as negociações.

Roberiton Ribeiro

COMPARTILHE

Fernando Palma
Fernando Palma196 Seguidores 573 Publicações Consultor de TI, CEO
Seguir
Sou fundador e CEO do Portal GSTI, Consultor, professor e instrutor em Governança de TI e Gestão TI. Graduado em SI, mestrando em administração, Certificado ITIL Expert, ITIL Manager, COBIT, OCEB, ISO 20k, e ISO 27k.

Comentários