Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Fernando Palma

Euforia x motivação


Nestes tempos em que inúmeras teorias de administração avançaram as fronteiras do mercado de trabalho, encontramos gestores que fazem de tudo, literalmente, para conquistarem o mesmo objetivo: motivar seus profissionais.

Alguns distribuem sorvetes, outros levam funcionários para jogos do clube de futebol da cidade e há até aqueles que se fantasiam para chamar a atenção de seus comandados, algo que deve fazer os mais antigos remexerem em seus túmulos.

Entretanto, a maioria dos consultores em Gestão de Pessoas vêm elogiando iniciativas criativas como estas, com a ressalva de que motivação é muito mais do que apenas um estímulo único . Assim, distribuir brindes e gratificações não motiva os profissionais, mas ajuda ao provocar uma sensação de euforia que favorece o alcance de resultados a curto prazo.

Premiar funcionários com ingressos de cinema (ou caixas de bombom) despertam uma energia positiva e mostram que todos são valorizados por ações estratégicas, mas também por seguirem as normas internas e conhecerem a política da empresa. Em outras palavras: “fazem parte do time” e são reconhecidos por atitudes simples.

Conseqüentemente, além da criatividade, podemos perceber que um programa de motivação funciona bem quando as iniciativas são mantidas por um tempo prolongado e não apenas como decorrência de uma comemoração especial ou pontapé para a nova campanha de vendas. Sim, há motivação em organizações que respiram e dão condições para que seus colaboradores também respirem diariamente o desejo de trabalharem com entusiasmo e sempre buscando produtividade. Bons exemplos disto são as campanhas de estímulo ao desempenho que premiam os vencedores com parte do lucro e os concursos internos que oferecem bônus aos portadores de soluções e idéias inovadoras.

Ao mesmo tempo, acatar as sugestões dos colaboradores e deixá-los participar de decisões gerenciais vêm sendo uma das alternativas com maiores resultados práticos e mensuráveis, pois os profissionais tornam-se extremamente comprometidos quando a alta gerência leva em consideração suas percepções.

Assim, dar um dia de folga para o melhor vendedor da semana motiva a equipe?

Num primeiro momento não, pois estimula apenas a euforia de quem ganhou. Por outro lado, quando há um ambiente favorável, iniciativas como estas motivam a equipe e demonstram o reconhecimento e a valorização do comportamento positivo individual e/ou do grupo.

Isto tudo me faz lembrar a melhor definição que já ouvi a respeito de motivação:

“Motivação é como banho, a gente tem que tomar todo dia!”

Wellington Moreira
wellington@caputconsultoria.com.br

COMPARTILHE

Fernando Palma
Fernando Palma207 Seguidores 574 Publicações Consultor de TI, CEO
Seguir
Sou fundador e CEO do Portal GSTI, Consultor, professor e instrutor em Governança de TI e Gestão TI. Graduado em SI, mestrando em administração, Certificado ITIL Expert, ITIL Manager, COBIT, OCEB, ISO 20k, e ISO 27k.

Comentários