Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Fernando Palma

Função Vital do Negócio e Ponto Único de Falha

Os conceitos básicos de Função Vital do Negócio (FVN) e Ponto Único de Falha (PUF), segundo as boas práticas da ITIL

Caros amigos do Portal GSTI,
este é mais um artigo da série sobre conceitos básicos da Biblioteca #ITIL.

Criei esta publicação para transcrever uma abordagem pessoal sobre dois conceitos relacionados a gestão da continuidade, disponibilidade e segurança da informação. Acredito que a diferença entre função vital e ponto único de falha pode ser causa de dúvidas para quem está estudando ITIL, portanto espero que traga esclarecimentos.

Função Vital do Negócio

Vamos combinar o seguinte: sempre que ler esta expressão lembre-se que vital vem de vida.

Portanto, a função garante a vida do negócio. Pronto! Com esta simples lembrança, você economizará muitos minutos de estudos e revisões. Mas, claro: não custa conferir a definição técnica, que replico a seguir.

Segundo o glossário da biblioteca ITIL, Uma Função Vital do Negócio, do inglês Vital Business Function , é "parte de um processo de negócio que é crítico para o sucesso do negócio.

A função vital é uma consideração importante no gerenciamento de continuidade de negócio, gerenciamento de continuidade de serviço de TI e gerenciamento de disponibilidade."

Dito de outra forma, a função vital é aquela parte do funcionamento do negócio que não pode parar! A área de negócio "bate as botas", "passa dessa para melhor", simples assim: existirá um grande impacto, caso o processo pare. 

Ponto Único de Falha

O nome já diz tudo, sim?

Recorrendo novamente ao glossário da ITIL "qualquer item de configuração que pode causar um incidente quando ele falhar e para o qual uma contra medida não foi implementada."

Um ponto único de falha pode ser uma pessoa, uma etapa em um processo ou atividade, ou ainda um componente de uma infraestrutura de TI.

Simplificando o conceito: se um componente pode comprometer todo o serviço, ou vários serviços, caso falhe, ele é um ponto único de falha. É aquele elemento para qual você não tem um plano B.

Para Não Restarem Dúvidas..

Você  pode estar se perguntando

- Fernando, mas esse conceito não é parecido com o anterior (Função Vital)?

Definitivamente não. 

Perceba: a função vital é uma função importante do, mas ninguém está dizendo que existe um componente sem contra medida implementada e que portanto o risco de causar falha é grande.

E o Ponto Único de Falha não será também uma Função Vital?

Também não. Podemos ter diversas situações em que um componente é um Ponto Único de Falha, mas o serviço associado a este não sustenta um processo vital para a área de negócio.

Como podemos ver, os conceitos são usados de formas distintas. Os gestores de Disponibilidade e Continuidade de serviços de TI usam técnicas para encontrar medidas e gerenciar adequadamente tanto um quanto outro.

Não há muito mais o que falar sobre a diferença destes conceitos (seria chover no molhado), mas deixo ultima reflexão:

  • Um Ponto Único de Falha pode ser eliminado, criando-se soluções como redundância. 
  • Já Função Vital não pode ou deve(ria) ser eliminada: ela simplesmente existe.

Outros artigos sobre conceitos da ITIL:

    COMPARTILHE

    Fernando Palma
    Fernando Palma206 Seguidores 574 Publicações Consultor de TI, CEO
    Seguir
    Sou fundador e CEO do Portal GSTI, Consultor, professor e instrutor em Governança de TI e Gestão TI. Graduado em SI, mestrando em administração, Certificado ITIL Expert, ITIL Manager, COBIT, OCEB, ISO 20k, e ISO 27k.

    Comentários