Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Fernando Palma

Espécies de Organizações

Resenha do livro "Managing" de Mintzberg

Obs.: este artigo foi re-escrito a e re-publicado a partir da minha própria publicação de Abril de 2011.


Espécies de Organizações

"Imagine a biologia sem um vocabulário para falar sobre as espécies: como diferenciar, por exemplo, castores de ursos sem uma palavra que vá além de mamíferos? Este é o estado que nos encontramos quando se trata de organizações."

Mintzberg (2010)

Em seu livro sobre Gestão Managing (Mintzberg, 2010) , o autor premiado como um dos maiores pensadores atuais de Administração, realizou uma pesquisa com 29 gestores de empresas pequenas, médias e grandes em diferentes países e distintos setores, para analisar as atividades que compõe a gestão.
Alguns fatores avaliados como: cultura, ramo, forma da organização, nível de gestão (básica, intermediária ou gestão sênior), experiência e estilo pessoal foram analisados para chegar a conclusão se existe um ou mais fatores que influenciam no que o gestor faz.
Em outras palavras, Mintzberg tentava chegar a conclusão sobre a semelhança e divergências dos trabalhos executados por diversos gerentes: será que os gestores faziam trabalhos diferentes ou semelhantes?
O interessante é que "a forma da organização" tenha se mostrado o fator mais proeminente de todos para entender o que os gerentes nesse estudo faziam" Mintzberg (p.113, 2010) .
Para 29 gerentes estudados, 20 deles apresentaram um comportamento que foi fortemente influenciado pela "forma da organização": expressão usada pelo autor que contempla tamanho, idade, postura estratégica; independente do ramo de atuação e país em que está alocada.
A proposição contrapõe teorias como "As culturas são importantes, não?" Linda Hill (1994) ou pesquisas como " A comunicação dos gerentes médios alemães com seus subordinados é principalmente orientado pro tarefas, enquanto o de suas contrapartes britânicas se concentra em motivação" Stwart et al (pag. 131, 1994).
O que Mintzberg conclui é que a Cultura do país está mais relacionada a "como " os gerentes exercem suas atividades, do que "o que " são estas atividades.
Já a tal "forma da organização", que ele sintetiza como "espécies", está bem mais relacionado a "o que" realmente os gerentes fazem. Dito de outra maneira, a característica das atividades de um gestor em uma empresa está relacionada a " espécie desta organização ".
Para explicar este fenômeno, o autor desenvolve um raciocínio genial, transcrito a seguir
Imagine a biologia sem um vocabulário para falar sobre as espécies: como diferenciar, por exemplo, castores de ursos sem uma palavra que vá além de mamíferos? Este é o estado que nos encontramos quando se trata de organizações, tanto na prática quanto na pesquisa : temos muito pouco vocabulário além da palavra organização.
Como é que um executivo chefe poderá explicar para um consultor ou membro da diretoria que "Você está nos tratando como organização do tipo A, mas na verdade nós somos do tipo B?
O resultado é que a ideia "da melhor maneira" continua a dominar a gestão: se é bom para o Royal Bank of Canadá, deve ser bom para o Greenpeace (vai um Plano Estratégico aí ?)." Mintzberg ( p.114, 2010 ).

No livro, este argumento é usado mais adiante pelo autor para justificar que a Administração como ciência está mais preocupada em estudar fenômenos e fatores que normalmente não são os mais importantes na vida de um gestor .
Estar preparado para naturezas de organizações talvez seja prioritário para quem deseja conhecer o comportamento do gestor.
Até porque, segundo o próprio autor, os gerentes só conhecem o que realmente são as atividades de um gerente tempos depois que assumem pela primeira vez a liderança de uma equipe.
Para encerrar o raciocínio deste artigo baseado no livro de Mintzberg , seguem algumas classificações de empresas que ele propõe.
Em qual delas sua organização se identifica?
  • A organização Empreendedora :  centraliza em torno de um único líder , que tanto age como negocia e ainda desenvolve a visão estratégica (exemplos: Apple - Steve Jobs; Facebook - Mark zuckerberg);
  • A Organização Mecânica : estruturada formalmente, com tarefas operacionais simples e repetitivas (burocracia clássica). Gerentes envolvidos principalmente com controle (o que seria mais acompanhamento de metas, prazos e indicadores) do que orientação e facilitação. Acredito que qualquer que leia este artigo poderá imaginar seus próprios exemplos, sim?
  • A Organização profissional : consiste em profissionais que realizam quase todo o trabalho operacional por conta própria, enquanto os gerentes se concentram mais no relacionamento externo.
  • A organização por Projetos : constituída por equipes de projetos formada por profissionais especialistas que inovam, enquanto a gerencia Sênior realiza ligações e negociações para conquistar os projetos. A liderança e facilitação fica pro conta dos Gerentes de Projetos.
  • A Organização Missionária : constituída por uma cultura forte, com gerentes que enfatizam a liderança para aperfeiçoar e sustentar a cultura (ex: empresas que trabalham sob o domínio de mantras).
  • Organização Política : dominada pelo conflito, com gerentes que as vezes precisam enfatizar a ação e a negociação, na forma de "apagar incêndio".
Bom, não preciso nem dizer que recomendo a leitura do livro. Aproveite o espaço dos comentários para manifestar se concorda ou discorda da visão de Mintzberg .
Mais conteúdo sobre gestão no portal GSTI:
Cursos grátis em administração de empresas

COMPARTILHE

Fernando Palma
Fernando Palma204 Seguidores 574 Publicações Consultor de TI, CEO
Seguir
Sou fundador e CEO do Portal GSTI, Consultor, professor e instrutor em Governança de TI e Gestão TI. Graduado em SI, mestrando em administração, Certificado ITIL Expert, ITIL Manager, COBIT, OCEB, ISO 20k, e ISO 27k.

Comentários