Portal GSTI
Portal GSTI

PublicarCadastre-seLogin
Menu
foto de
Fernando Palma

Análise de Impacto de Falhas em Componentes (AIFC)

Como funciona a técnica Componente Failure Impact Analisys (CFIA) - Análise de Impacto de Falhas em Componentes (AIFC) conforme as Boas Práticas da ITIL


Bem vindo a mais um artigo sobre conceitos básicos de gestão de serviços de TI com base na biblioteca #ITIL
O conteúdo desta publicação aborda uma técnica utilizada para a execução de atividades proativas que fazem parte do escopo dos processos de gestão de disponibilidade e gestão da continuidade, conforme as boas práticas da Publicação de Desenho de Serviços ( Service Design ) da ITIL.

A técnica é utilizada também para colaborar com atividades do processo de gestão de problemas, que por sua vez pertence ao livro de operação de serviços, embora seja mais citada no escopo dos dois primeiros processos citados .

Para trabalhar este conceito, organizei o artigo da seguinte maneira:
  • O que é CFIA (ou AIFC)
  • CFIA e a gestão da disponibilidade ITIL
  • CFIA e a gestão da continuidade ITIL
  • CFIA e o gerenciamento de problemas ITIL
  • Como utilizar a técnica CFIA

O que é a Análise de Impacto de Falhas em Componentes (AIFC)

A sigla CFIA significa Component Failure Impact Analisys , que tem como tradução literal Análise de Impacto de Falhas em Componentes (AIFC) .

Apenas lendo a sua tradução, já é possível ter uma ideia do que propõe esta técnica: analisar os serviços de TI que são afetados - e o quanto são afetados - quando determinados incidentes ocorrem em itens de configuração.

Ora, se estamos falando de atividades proativas para estudar incidentes, não deve ser difícil compreender porque os processos de gestão de disponibilidade e gestão de problemas utilizam desta técnica, certo?

Os próximos tópicos resumem o uso que tais processos fazem de AIFC (ou CFIA) e mais o gerenciamento da continuidade.

AIFC e Gestão de Disponibilidade

O Gerenciamento de Disponibilidade desempenha um papel relevante na fase de desenho de serviços de TI, garantindo que os requisitos para todos itens de configuração e ativos do serviço associados são claramente compreendidos e alcançados da forma otimizada.

A técnica de Análise de Impacto de Falhas em Componentes (AIFC) faz parte das atividades proativas deste processo e contribui para alcançar melhores resultados na disponibilidade fim a fim do serviço, através de ações como:
  • sugestões de como estruturar de melhor maneira os componentes existentes;
  • sugestões para aquisições de novos componentes: ativos / itens de configuração;
  • proposições de mudanças de forma geral na estrutura atual dos serviços;
  • identificação de dependências sob componentes e pessoas;
  • evitar que pontos únicos de falha tornem os serviços de TI vulneráveis;
  • reduzir os riscos voltados a falta de disponibilidade.

AIFC e Gestão da Continuidade

A Gestão de Continuidade de Serviços de TI é um processo, também da etapa de Desenho de Serviços, que tem como objetivo apoiar a Gestão de Continuidade de Negócio, garantindo que as instalações de TI e serviços essenciais possam ser retomados dentro dos requisitos e prazos adequados a necessidade de negócio, em caso de ocorrência de paradas críticas e desastres.

A forma como a técnica CFIA é utilizada para este processo não tem grandes diferenças quando comparada a execução da mesma no em gestão da disponibilidade, exceto pelo objetivo esperado em cada uma delas.

No gerenciamento da continuidade, a necessidade de descobrir pontos únicos de falha e funções vitais está associada a busca por elaborar planos de continuidade incluindo opções documentadas para retorno dos serviços que protejam o negócio de consequências de incidentes graves .

AIFC e a Gestão de Problemas

O gerenciamento de problemas é o processo da operação de serviços de TI que tem como principal objetivo diagnosticar a causa raiz de um ou mais incidentes e propor soluções que minimizem e previnam incidentes através de requisições de mudança.

O gerenciamento de problemas utiliza CFIA para conduzir avaliações do histórico de incidentes, com o propósito de descobrir a causa raiz destas interrupções, propondo mudanças que reduzam a quantidade e impacto dos incidentes dos serviços em operação.

Vale observar que, assim como nos processos de gestão de disponibilidade e continuidade, CFIA é utilizada em conjunto com outras técnicas como Análise de Árvore de Falhas ( FTA- Fault Tree Analysis ), diagrama de ishikawa , CRAMM, ciclo de vida estendido do incidente , entre outras .

Exemplo de Análise de Impacto de Falhas em Componentes (AIFC)

Como já apresentado, a técnica deve ser utilizada para avaliar o impacto de falhas de componentes nos serviços de TI.

Alguns profissionais e organizações aplicam a técnica para o estudo apenas de componentes de software e hardware, entretanto é recomendado que todos componentes que fazem parte do serviço sejam levados em consideração: software, hardware, pessoas, ambiente, infraestrutura e outros ativos do serviço.

Se você consultar a imagem a seguir, notará que não não tem segredo: a forma de identificar o impacto das falhas nos serviços é simplesmente mapeando o relacionamento entre todos os serviços entregues e seus componentes. As maneiras mais comuns de instrumentalizar esta tarefa são através de uso de tabelas e diagramas.

A seguir, um exemplo de uso da técnica CFIA em uma tabela, onde os serviços estão listados nas colunas e componentes nas linhas.
Como podemos observar na ilustração, é possível documentar os componentes utilizados por cada serviço, observando os componentes que podem representar possíveis vulnerabilidades para o serviço fim a fim.

Exemplo de Análise de Impacto de Falhas em Componentes (AIFC)

Exemplo do uso de CFIA conforme boas práticas da ITIL
CFIA - Component Failure Impact Analisys


O mapeamento destas relações permite que os gestores dos processos de gestão de disponibilidade, continuidade e problemas tomem decisões eficazes (com o apoio, claro, dos demais atores destes processos).

Como podemos concluir, o nome pode até assustar no primeiro contato, mas de complexo a técnica CFIA / AIFC tem absolutamente nada! Você enfrentará dificuldade, obviamente, quando inciar o mapeamento de ambientes de médio ou grande porte não antes documentados, sobretudo se o seu departamento de TI não contam com o apoio de um sistema de gestão a configuração eficaz, que forneça uma visão lógica adequada. Com a técnica em si, entretanto, provavelmente não enfrentará dificuldades.

Em breve, pretendo apresentar outras técnicas utilizadas nestes mesmos processos. Até mais!

Continue estudando gestão da disponibilidade, continuidade e problemas:

COMPARTILHE

Fernando Palma
Fernando Palma202 Seguidores 574 Publicações Consultor de TI, CEO
Seguir
Sou fundador e CEO do Portal GSTI, Consultor, professor e instrutor em Governança de TI e Gestão TI. Graduado em SI, mestrando em administração, Certificado ITIL Expert, ITIL Manager, COBIT, OCEB, ISO 20k, e ISO 27k.

Comentários